domingo, 3 de junho de 2007

Contos de Terror para Crianças... Ou Histórias de ninar que mamãe definitivamente não contou!

História de hoje: Chapeuzinho Vermelho


Chapeuzinho Vermelho caminhava tranquilamente pela floresta, levando uma cesta com pães e tortas para sua avó adoentada, a pedido da sua mãe. Distraída, saltitava e cantava pela trilha entre os velhos carvalhos. Não muito longe dali, um lobo sentiu o delicioso aroma das tortas. Estava faminto, não havia comido nada além de alguns esquilos e guaxinims nos últimos dias. Subiu uma colina, de onde poderia atacar a Chapeuzinho assim que ela passasse. Quando a garotinha se aproximou, ele pensou, "Por que atacá-la aqui? Essa trilha leva para a velha cabana, é só chegar antes dela e faço a emboscada lá!". Saiu em disparada, pegando um atalho pelo meio da floresta, chegando à casa da Vovó antes da Chapeuzinho. Escondendo-se entre os arbustos, pode observar a Vovó, que dava migalhas de pão para alguns pássaros. Não pensou duas vezes. Esticou suas poderosas garras e saltou em direção à Vovó. Uma única patada certeira na jugular e praticamente arrancou fora a cabeça dela. Assim que a Vovó caiu sem vida no chão, o lobo começou a tirar cuidadosamente sua pele, deixando apenas a carne morta ao lado da casa. Rapidamente jogou a pele ainda ensanguentada sobre a sua e vestiu a roupa da Vovó em seguida. Entrou na casa, fechou as janelas para deixar tudo mais escuro, e deitou-se na cama, cobrindo-se em seguida. Pouco depois, ouviu as batidas na porta. Chapeuzinho chegara.

- Entre, minha netinha! - disse o lobo.

Chapeuzinho entrou, estranhando a escuridão na casa.

- Não abra as janelas, minha neta. Estou muito doente, não posso pegar friagem!

Chapeuzinho deixou a cesta sobre a mesa e aproximou-se da cama. Mal podia ver a Vovó entre todas as cobertas.

- Vovó, está tudo bem? A senhora está tão estranha.

- É apenas um resfriado, minha querida. Deite-se aqui comigo, ajude-me a ficar mais quentinha.

Chapeuzinho obedeceu, deitando-se sob as cobertas.


- Vovó... mas que unhas tão grandes! E esses pêlos também! E esses dentes enormes, Vovó, para que são?

Não houve resposta. As patas do lobo já abraçavam a Chapeuzinho, não deixando-a escapar, enquanto cravava os dentes em sua pele macia. A carne nova era mais saborosa que a Vovó, e o lobo perdeu algumas horas devorando a pequena criança. Mesmo assim, quando acabou, voltou ao jardim, onde havia deixado o corpo da Vovó, e devorou-a também, voltando em seguida, satisfeito, para a floresta.




Moral da História: Mate um lobo hoje, nunca se sabe quando o lenhador vai estar de folga!

10 comentários:

Aventuras Urbanas disse...

ai que malvadeza' kkk
salvou meu trabalho de artes,esta semana era um conto de terror
kk vlw
amei o blog beeijos'

Aventuras Urbanas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nicole disse...

nossa,q historia e essa,gostei muito,amei!!!!!!

nicole disse...

eu amei essa historia....

Anônimo disse...

amei

mical disse...

essa historia escuto desde 3 anos de idade,e agora ja tenho 10 mais mesmo assim nao me canso de ouvir é um classico

Anônimo disse...

devia melhorar um pouco mais

Anônimo disse...

HahH eu ameiiiiiiiiiii apesar dessa historia ser mais velha q minha avó gostei dessa outra versaoo.....
Bjbjuuu kkk

Anônimo disse...

kkkkkkkkk amei, me salvou, pois o meu trabalho e inglês esta semana é um conto de terror !!!!!!!

Anônimo disse...

Salvou meu trabalho, de Língua Portuguesa!
Odeio contos de terror mais esse tá valendo!